Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Candidatos ao Prémio CNN Multichoice reúnem no Uganda

Os 27 finalistas de 15 países que concorrem este ano ao galardão da 15ª edição do prémio jornalista africano CNN Multichoice 2010, encontraram-se pela primeira vez esta quinta-feira, 27, na cidade de Kampala, Uganda.
De acordo com uma fonte afecta a comissão organizadora, contactada pela Angop, entre os 27 finalistas constam jornalistas de Angola, Uganda, Ghana, Madagáscar, Nigéria, Marrocos, Malawi, África do Sul, Somália, Quénia, Côte d'Ivoire, Uganda, Lesotho, Moçambique e Argélia

A fonte deu ainda a conhecer que este ano a competição recebeu participações de 975 jornalistas de 40 países do continente, incluindo a África Francófona e de Expressão Portuguesa.
Os vencedores da competição serão conhecidos no dia 29 de Maio do corrente ano durante uma gala que terá lugar num dos prestigiados hotéis da cidade de Kampala.
Os finalistas da prestigiosa competição foram anunciados em Abril de 2010 por Joel Kibazo, presidente do painel independente de júri.
Na ocasião, Joel Kibazo considerou 2010 como sendo um ano de recorde absoluto para candidaturas a estes prémios e destacou que não só os números continuam a crescer todos os anos, mas também a qualidade tem aumentado.
“Fiquei particularmente impressionado pelo número crescente de jornalistas que atravessaram fronteiras na perseguição de histórias. Este amadurecimento do jornalismo, por todo o continente, combinado com os avanços tecnológicos, criou um corpo de trabalho maior e tornou os prémios mais emocionantes para avaliar, asseverou.
A Angop soube também que este ano o receptor do Prémio Africano na categoria de Imprensa Livre vai para Mustafa Haji Abdinur, co-fundador da rádio SIMBA em Mogadíscio e fundador do Somali Media for Peace and Development (SOMEPED).
Este prémio é-lhe concedido pelo seu trabalho na Somália que inclui a iniciativa “Jornalismo da Paz” que lançou com a ajuda dos colegas jornalistas somalís.
O galardão nessa categoria é entregue como reconhecimento de todos os jornalistas na Somália que colocaram as suas vidas em risco para contarem a história.
Fonte da organização disse à Angop que nove jornalistas morreram em 2009 na Somália, enquanto cumpriam os seus deveres profissionais.
O Prémio Jornalista Africano do Ano CNN foi fundado em 1995 por Edward Boateng que foi director regional africano da Turner Broadcasting System Inc, empresa-mãe da CNN e o falecido Mohamed Amin, no sentido de reconhecer e incentivar a excelência do jornalismo por toda a África.
O jornalista Ernesto Bartolomeu, da Televisão Pública de Angola (TPA), venceu em 2009 na categoria de língua portuguesa com uma reportagem de corte histórico sobre o Kuito Kuanavale, município da província angolana do Kuando Kubango.
Em 2005 o jornalista angolano José Luís Mendonça venceu na categoria de “notícias gerais da Lusofonia”.

Sem comentários: