Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Falsas kinguilas facilitavam roubos e assaltos aos clientes


A Direcção Provincial de Investigação Criminal de Luanda apresentou, quarta-feira, Anita Farias, 41 anos, e Cristina Henriqueta, 38, que se faziam passar por kinguilas para roubar os cidadãos que pretendiam cambiar elevadas somas monetárias.
As falsas kinguilas faziam parte de uma quadrilha liderada por Baptista Sabalo, 42 anos, e que integrava também Ednane Lourenço, 21 anos; Walter Manuel, 24; Walter Bartolomeu, 32 e Benvindo Domingos, 40.
O grupo esperava as suas vítimas defronte ao Belas Shopping, no Talatona, enquanto os seus outros integrantes se escondiam numa residência para onde eram levados os indivíduos que tencionavam trocar elevadas somas.
No dia 7 deste mês o grupo abandonou o posto no Bellas Shopping e montou uma cabala para tramar o jovem Mateus Pedro, 34 anos, que também se dedica à troca de dinheiro, no mercado do São Paulo.
Anita Freitas telefonou para o jovem manifestando o seu interesse em comprar 30 mil dólares. Sem imaginar que estava perante uma armadilha, o jovem não hesitou em aceitar a proposta indo ao encontro dela numa viatura de marca Toyota Starlet, em companhia do seu amigo Costa Andrade, 30 anos.
Por desconhecerem a casa da kinguila, os jovens ligaram-lhe assim que chegaram ao mercado do Quintalão do Petro, tendo-se ela prontificado em levá-los até à sua residência, o lugar tido como ideal para fazer a troca.
Mateus Pedro entrou na casa da “cliente” para fechar o negócio, deixando o seu amigo no interior da viatura, com uma pasta contendo 25 mil dólares e uma quantia em kwanzas equivalente a sete mil dólares. Anita Faria tentou acomodá-lo na sala, com o pretexto de que iria ao quintal buscar a chave da porta do quarto onde estaria guardado o dinheiro.
“Recusei e disse-lhe que não seria necessário porque dava para fazermos a troca no corredor da casa mas ,mesmo assim, ela saiu e eu segui-a”, explicou Mateus Pedro.
Ao ver que a vítima não aceitou permanecer na sala, Ana Faria mudou de táctica e voltou a entrar em casa mas, desta vez, em direcção a um aposento onde já se encontravam Benvindo Bemba e Walter Manuel, que saíram armados e tentaram receber a mala de dinheiro.
O jovem que pretendia trocar o dinheiro pôs-se em fuga, deixando cair a pasta, enquanto gritava para que o amigo fugisse porque estavam perante uma cabala.
“Primeiro gritei: Costa retira o carro daí porque esses moços são batuqueiros, tendo ele tentado movimentar-se só que não foi a tempo porque um deles lhe deu um tiro no pescoço”, contou o jovem.

Feitiço contra Polícia
Depois do furto, os marginais repartiram o dinheiro. Anita Faria e Cristina Henriquieta deixaram os seus seis filhos nas respectivas residências, tendo-se deslocado à província de Benguela para fazer tratamento tradicional, na tentativa de escapar à acção das autoridades policiais.
“Passámos a noite num hotel e, na manhã seguinte fomos à província de Benguela fazer o tratamento tradicional, mas não conseguimos chegar aos curandeiros porque fomos detidas pela Polícia”, explicou Anita Faria.
As duas cidadãs trocavam dólares há vários anos, mas como os valores com que trabalhavam foram abaixo, decidiram assaltar os colegas.
Anita Faria explicou que convidou o seu namorado Baptista Sabalo, que já tinha um grupo de marginais.

Em recuperação
O cidadão Costa Andrade, que foi alvejado no último dia 7, está internado na Clínica Multiperfil a receber cuidados médicos. Benvindo Domingos, o autor dos disparos, já havia sido condenado a uma pena de 15 anos pelo crime de homicídio, tendo cumprido apenas 10, após beneficiar da amnistia aprovada há quatro anos.
Além deste grupo de marginais, foram ainda apresentados outros quatro jovens que assaltaram uma residência apropriando-se de alguns electrodomésticos que seriam comercializados com o intuito de arrecadarem dinheiro para organizar uma festa. A Polícia apresentou também um segurança da empresa Ango Segu, que furtou seis milhões de kwanzas e 350 dólares na agência do BPC da LAC.

Sem comentários: