Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Embaixador francês protesta contra Jornal de Angola

O embaixador francês em Luanda, Francis Blondet enviou uma carta ao Jornal de Angola a protestar contra um artigo acusando a França de estar envolvida numa conspiração contra o país. Na sua edição de ontem, o diário estatal angolano lançou duras críticas à França e aos meios de comunicação franceses, acusando-os de conspirarem contra Angola e de tentarem descarrilar a recente Taça de África das Nações.
No seu editorial, o jornal acusou a Agência France Presse de fazer campanha contra Angola e terá sugerido ligações entre a França e o ataque à selecção togolesa de futebol, em Cabinda, no início do torneio.
Em declarações à BBC, o embaixador francês disse fazer pouco sentido a divergência de opinião entre o editorial do jornal e outras notícias publicadas na mesma edição reflectindo as relações franco-angolanas de uma forma positiva, enquadradas na visita de cortesia que ele tinha efectuado ao Primeiro-Ministro Paulo Kassoma, na segunda-feira.
Horas antes de deixar Luanda no final da sua missão diplomática, o embaixador cessante francês em Angola, Francis Blondet, disse à BBC que estava triste com o editorial do Jornal de Angola.
"Fiquei triste com este artigo que sugere que a França deve ser acusada de fomentar uma conspiração contra Angola através da FLEC. É absurdo, em primeiro lugar, e também estranho."
O embaixador Blondet explicou ainda ter enviado uma carta ao Jornal de Angola a protestar contra o artigo, que o deixou confuso.
Segundo Francis Blondet, faz pouco sentido a divergência de opinião entre o editorial do jornal e outras notícias publicadas na mesma edição e que reflectiam as relações franco-angolanas de uma forma positiva, enquadradas na visita final de cortesia ao Primeiro-Ministro Paulo Kassoma, na segunda-feira.
No mês passado o governo angolano já tinha emitido uma nota de protesto à missão diplomática francesa em que exigia mais esforços para encontrar os membros da FLEC acusados pelo atentado de Cabinda.
Paris diz que o caso foi enviado para os tribunais e que continua a aguardar um relatório detalhado sobre o incidente que envolveu a selecção do Togo.
No início da semana a imprensa angolana noticiava que a agência de polícia internacional, Interpol, teria já emitido mandados de captura para os membros da FLEC, notícia que a Interpol já negou.
Fonte: BBC

Sem comentários: