Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Proximas demolições: Plano Director de Luanda em elaboração


No documento consta que o plano director da província de Luanda está a ser elaborado por uma comissão que tem como consultor a empresa A1V2, será financiado pelo Governo Central e poderá ser executado em 12 meses. Neste momento, a comissão já preparou as instalações e equipamentos para acomodar os técnicos e consultores, fez o enquadramento dos técnicos de apoio a comissão e efectuou contactos com empresas de consultoria de projectos para a elaboração do Master Plan.
“Aguarda-se a entrega dos termos de referência para procederse a adjudicação dos trabalhos de elaboração do Master Plan e dar continuidade a consulta às empresas de consultoria para a obtenção de propostas”, lê-se no capítulo das perspectivas.
Para além das demolições ocorridas nos bairros do Iraque e Bagdad, no município do Kilamba Kiaxi, o GPL poderá demolir as residências que se encontram no terreno que circunscreve a área em que está a ser construído o estádio de futebol para o CAN, próximo do Campus Universitário, na comuna de Camama.
Quanto ao plano director Cidade do CAN, consta que o Governo terminou, em Junho último, o processo de indemnização dos camponeses e procedeu às concessões de direito de superfície a distintos superficiários.
O início das obras está previsto para o segundo semestre deste ano. “Está em curso o processo de negociação ente o IPGUL e a Urbinvest (empresa financiadora), visando a definição do modelo de parceria para a implementação das obras de infra-estruturas e gestão do projecto”.
As demolições no Camama prosseguirão na zona oeste da Cidade Universitária, pelo facto de o terreno que circunscreve aquele perímetro ser propriedade do Ministério das Obras Públicas que pretende implementar no local um projecto habitacional.
“O projecto foi submetido a análise e apreciação superior para orientação relativamente as modalidades de acesso”. Refere-se também que o GPL encontra nesse momento dificuldades em realojar a população que se encontra no perímetro que circunscreve a estrada Camama-Viana, em posição oposta ao Complexo Habitacional da Eusébios.
No local, está previsto a implementação do Projecto Habitacional Piloto do Camama, cujo prazo de execução poderá ter início em Setembro desde ano. Para não deixar os actuais ocupantes à deriva, os promotores do projecto, nomeadamente, o GPL e a empresa de consultoria GA3, perspectivam construir casas para realojá-los.

Sem comentários: