Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Quadra festiva sangrenta

Quarenta e sete pessoas morreram em consequência de acidentes de viação apenas na quadra festiva, segundo estatísticas da Direcção Nacional de Viação e Trânsito

O porta-voz da DNVT, Angelino Serrote, revelou ao Tribuna da Kianda que 47 pessoas morreram e 251 feridos deram entrada nas unidades hospitalares em consequência dos 329 acidentes de viação ocorridos em todo o país durante a quadra festiva.
Entre os dias 24 e 26 de Dezembro, a Polícia Nacional registou 114 acidentes, dos quais resultaram 23 mortos e 103 feridos, enquanto que entre 31 de Dezembro e 4 de Janeiro de 2010 ocorreram 215 acidentes, que provocaram a morte de 24 pessoas.
Comparando os níveis de sinistralidade registados de 1 de Janeiro a 24 de Dezembro de 2009 com os ocorridos no mesmo período em 2008, Angelino Serrote explicou que a sua instituição registou no ano passado 12.478 acidentes, que resultaram em 2.539 mortos e 11.396 feridos. De acordo com os dados da DNVT, em relação a 2008, houve um aumento de mais de mil acidentes, tendo em conta que foram contabilizados 11.624 acidentes.
O porta-voz da DNVT defende que para além das campanhas de sensibilização, feitas periodicamente, existem outros serviços que devem ser melhorados para se reduzir a quantidade de acidentes rodoviários.
“Há que se considerar que a qualidade das infra-estruturas rodoviárias e a pronta intervenção dos Bombeiros e dos Serviços de Emergência Médica são determinantes para reduzirem as taxas de acidentes e de mortalidades”, explicou Angelino Serrote.
O porta-voz esclareceu que há muito tempo que o trabalho de consciencialização dos automobilistas e as campanhas de prevenção rodoviária deixaram de ser uma actividade desenvolvida unicamente pela Polícia Nacional, porque a instituição tem contado com o apoio de várias organizações juvenis que se juntaram a esta causa. Segundo o interlocutor, a camada juvenil lidera a lista de vítimas.
“As nossas campanhas de sensibilização têm surtido os efeitos desejados, visto que temos assistido nos últimos anos, ao surgimento de várias organizações juvenis que abraçaram esta causa e que procuram fazer alguma coisa para diminuir o número de acidentes. Temos que louvar o trabalho dessas organizações, mas ainda estamos muito distantes da meta ”, revelou o oficial da Polícia.
Em relação a 2008, a província do Cunene registou em 2009 uma diminuição de 103 acidentes, um aumento de 16 mortos e menos 74 feridos .
Durante o ano passado, foram registados 243 acidentes de viação, nos quais 46 pessoas morreram e 232 ficaram feridas. Destes sinistros, 71 foram atropelamentos, 54 choques entre automóveis, 47 despistes, 41 choques entre veículos automóveis e motociclos com ou sem motores, 15 capotamentos e igual número de choques entre obstáculos fixos. Os acidentes causaram danos materiais calculados em nove milhões e 482 kwanzas.
O excesso de velocidade, condução sob efeito do álcool, desconhecimento do código de estrada e condução ilegal figuram como as principais causas da sinistralidade rodoviária em todo país.
Ainda no ano passado, a Unidade Operativa de Trânsito no Cunene deteve 109 pessoas por condução ilegal.
Do total de acidentes ocorridos em 2009, 611 ocorreram no Uige, que provocaram a morte de 145 pessoas e 466 feridos. Em termos de danos materiais, a avaliação aponta para 24 milhões, 13 mil e 972 kwanzas.
No dia 25 de Dezembro, a Unidade de Trânsito de Luanda registou 11 casos por atropelamento, com três mortes e sete feridos graves. Os acidentes, que incluem choques entre veículos automóveis, atropelamentos e despistes, ocorreram nos municípios da Ingombota, Kilamba-Kiaxi, Viana, Samba, Rangel, Maianga e Cacauco. Em termos materiais, os prejuizos foram avaliados em três milhões e 210 mil kwanzas.
A Polícia de Trânsito aplicou 277 multas devido a várias causas: embaraçar o trânsito, estacionar em locais proibidos, uso do telemóvel durante a condução, mudança de direcção irregular, não cedência de prioridade de passagem, não uso do cinto de segurança e desobediência ao sinal de trânsito.

Presos por festejarem
Durante a passagem de ano, o Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional deteve sete cidadãos, entre os quais um agente da própria corporação, acusados de terem efectuado disparos com arma de fogo.
O Tribunal de Polícia começou na quarta-feira, em Luanda, o julgamento do agente Júlio dos Santos Matias, 24 anos, por ter feito disparos anárquicos de arma de fogo no período da quadra festiva.
O julgamento, que estava inicialmente previsto para o dia anterior, teve que ser adiado por insuficiência de provas. Segundo consta nos autos, Júlio Matias efectuou os disparos às 6h30 do dia 1 de Janeiro, nos arredores da Jacinto Figueiredo loja Wimpy, na Ilha de Luanda.
O porta-voz do Comando Provincial, superintendente chefe Jorge Bengue, disse que os cidadãos foram detidos nos municípios do Kilamba Kiaxi, Rangel, Maianga e Samba.
Para a detenção dos indivíduos, a corporação contou como apoio da população.
Ainda na passagem do dia 31 de Dezembro de 2009 para 1 de Janeiro de 2010, a Polícia registou, na capital, 16 crimes de natureza diversa.
Conseguiu esclarecer quatro e deteve cinco indivíduos suspeitos.
Segundo Jorge Bengue, ocorreram dois crimes de homicídio voluntário, cometidos com faca e fragmento de garrafa nos municípios da Samba e Cazenga, cujos autores já estão detidos.
Para além deste número, a Polícia não conseguiu deter os autores de outros cinco crimes de roubo qualificado de vários bens nos municípios do Sambizanga, Samba, Maianga, e Kilamba Kiaxi. A corporação registou também três crimes de furto, um de tentativa de roubo e um caso de fogo posto, respectivamente nos municípios da Samba, Viana e Rangel. O terminal 113 da Polícia Nacional recebeu mais de três mil chamadas telefónicas, das quais 216 de interesse policial. O município do Kilamba Kiaxi foi aquele que mais solicitou a intervenção das autoridades policiais.

Sem comentários: