Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Solução: Eucalipto é uma forma de prevenção



O geofísico Vasco José é de opinião que para além da plantação de eucaliptos é necessário estabelecer onde passa a linha da costa e onde termina a influência marinha para poder estancar o aparecimento de lençóis freáticos como acontece em algumas zonas da cidade de Luanda.

Falando ao Tribuna da Kianda, Vasco José, chefe de Departamento de Geofísica do Instituto Nacional de Meteorologia (INAMET), explicou que a presença de águas salobras em algumas zonas de Luanda pode ser também detectada, através de alguns métodos práticos e convencionais.
Quanto ao aparecimento de águas salobras em alguns bairros de Luanda, o geofísico diz que os lençóis de água sempre existiram e que estão apenas a aflorar e, por outro lado, pode-se associar este fenómeno ao afastamento da costa.
“É preciso termos em atenção que a nossa costa marítima é divergente e que à medida que o tempo vai passando, o mar vai se afastando deixando a sua influência”.
No entender do especialista, só agora é que se assiste ao aparecimento com grande incidência de lençóis freáticos, porque anteriormente existiam alguns métodos de prevenção que as autoridades coloniais implementaram ao construírem a cidade e que hoje já não existem.
“Acabamos com a vegetação, com os cursos de água e houve pessoas inclusive que construíram por cima deles desrespeitando as normas ambientais”.
No entender do responsável do INAMET, este estado de coisas fez com que as águas deixassem de escorrer e “com o passar do tempo foram aflorando-se, resultando naquilo que vemos actualmente”.
O nosso interlocutor atesta que a plantação de eucaliptos é uma das formas de prevenção contra este fenómeno, porque está cientificamente provado que esta árvore absolve uma enorme quantidade de água.
“Acho que as árvores (eucaliptos) acabaram por morrer porque apesar ser uma planta que alimenta-se de muita água é um mastro de transição”.

Sem comentários: