Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Conferência do 80º Aniversário do Nacionalista Angolano Mário Pinto de Andrade


A Universidade Lusíada de Angola realizará esta sexta-feira, 21, uma conferência para assinalar o 80º aniversário do nacionalista angolano Mário Pinto de Andrade. A actividade terá como prelectores o professor de economia e sociologia da Universidade Católica de Angola, Vicente Pinto de Andrade, e o etnólogo e cientista político Carlos Moore Wedderburn.
No documento que o Tribuna da Kianda teve acesso consta que Mário Pinto de Andrade (MPA) é hoje uma figura incontornável na história do nacionalismo Angolano e que muitos os jovens descobrem na sua figura um herói e uma inspiração para o percurso humanista e pensador.
“Numa altura em que pensar, reflectir e humanizar o modo de estar na sociedade é tido em cada vez mais alta estima, recordar a vida e obra de Mário Pinto de Andrade é ter em mãos o mapa e o exemplo seguro para um tal percurso de excelência”, lê-se no documento.
O papel de Mário Pinto de Andrade na história de Angola foi essencial na qualidade de nacionalista que tem uma dimensão reconhecida por muitos, além dos angolanos conhecedores do seu percurso e intervenção.
A ideia de realizar a conferência sobre o homem e o nacionalismo na visão de MPA, surgiu da sua filha Henda Ducados em companhia de alguns amigos e contam com o apoio do Ministério da Cultura, do Instituto Camões e da Associação Chá de Caxinde.

“Esperamos que encontrem disponibilidade para conhecer um pouco mais e perceber de que modo MPA influenciou, divulgou, lutou e viveu tendo uma clarividência elevada”.

'A PRESERVAÇÃO DA MEMORIA DOS NACIONALISTAS AFRICANOS'

PROGRAMA
9:30 Chegada dos convidados e participantes
10:00 Abertura da Conferência pelo Reitor da Universidade Lusíada
10:15 Palestra proferida pelo Dr. Vicente P. de Andrade*
11:30 Palestra proferida pelo Dr. Carlos Moore Wedderburn**
12:00 Debate
13:00 Encerramento pelo Ministério da Cultura

Dr. Vicente Pinto de Andrade é Professor de Economia e Sociologia na
Universidade Católica de Angola

**Dr. Carlos Moore Wedderburn é etnólogo e cientista político. Foi professor titular de relações internacionais no Instituto de Relações Internacionais da University of the West Indies (UWI), à Trinidade-Tobago. Sua carreira como académico e pesquisador, incluíram cargos como Professor Visitante na Universidade Internacional da Flórida (EUA), e na Universidade das Antilhas (Martinica e Guadalupe). Foi Consultor Pessoal para assuntos latino-americanos do Dr. Edwin Carrington, Secretário Geral da Organização da Comunidade do Caribe (CARICOM),de 1966 a 2000, e de 1982 a 1983, do Dr. Edem Kodjo, Secretário Geral da Organizacao da Unidade Africana (OUA), atualmente União Africana (UA). De 1975 a 1980, foi assessor pessoal do cientista senegalês, professor Cheikh Anta Diop, diretor do Instituto Fundamental da África Negra
(IFAN), em Dakar, Senegal. E, de 1980 a 1984, foi assessor de pesquisa do Professor Robert Jaulin, diretor da faculdade de SociologialAntropologia/Etnologia, Universidade de Paris-7 (França).

1 comentário:

Anónimo disse...

RELEMBRAR O NACIONALISTA, AFRICANO, UNIVERSALISTA E UM DOS FUNDADORES DO MPLA, Dr. HUGO JOSÉ AZANCOT DE MENEZES.
Aos 11de Maio de 2000 faleceu o Dr. Hugo José Azancot de Menezes com 71 anos e faria 83 aos 02-02.2012.
Foi um benfeitor da humanidade, progressista e justiceiro em todo o seu percurso e nunca optava pelas situações radicais e pugnava pela reposição de valores, igualdade e sempre em prol dos desfavorecidos.
Era efervescente para ideais progressistas para a qual sempre norteou o seu percurso de vida fundamentalmente política nacionalista Africana e universalista.
O seu sonho foi sempre a emancipação de África por valores de consenso nacional e progresso social que herdou e desenvolveu ao longo de décadas.
Envolveu -se sempre desde os primórdios do nacionalismo ao qual participou na criação e fundação de associações políticas e posteriormente na fundação de partidos como MPLA, CLSTP, PDG NAS FASES embrionárias das suas existências.
Nos países Africanos onde praticou as actividades políticas e exerceu medicina conseguiu galvanizar muito apoio dos respectivos nacionais e governantes desses países Africanos que se tornariam independentes não só pelo seu desempenho e criatividade relativamente ao MPLA mais por iniciativas locais.
Esta data nunca passara despercebida para os seus familiares e amigos e camaradas de lutas em todas latitudes tanto em África como Europa onde ele trilhou o caminho da libertação e dignidade do homem Africano apesar dos novos valores e preocupação dos tempos modernos.
E que a África não te esquecera.

ESCRITO AOS 02-02-2012 POR:
Ayres Guerra Azancot de Menezes